Antibióticos são receitados inadequadamente para crianças hospitalizadas

Antibióticos são receitados inadequadamente para crianças hospitalizadas
Na luta contra a resistência bacteriana, tem havido um esforço para usar outros tipos de medicamentos, e não antibióticos, contra pneumonia em crianças.
[Imagem: Susanne Staubli/Kinderspital Zürich]

Receitas profiláticas

Quase um terço de todos os antibióticos prescritos para crianças internadas em todo o mundo foram destinados a prevenir potenciais infecções, em vez de tratar doenças já instaladas, de acordo com um levantamento mundial publicado no Journal of the Pediatric Infectious Diseases Society.

Mais ainda, uma grande proporção dessas prescrições preventivas, ou profiláticas, envolveu antibióticos de amplo espectro ou combinações de antibióticos, ou por períodos prolongados, o que pode acelerar o desenvolvimento de bactérias resistentes aos antibióticos e infecções resistentes aos medicamentos.

"Este padrão e alta taxa de prescrição profilática indica um claro uso excessivo de antibióticos. Esperamos que os resultados do nosso estudo ajudem a conscientizar os profissionais de saúde sobre a prescrição adequada de antibióticos para as crianças," disse o Dr. Markus Hufnagel, da Universidade de Freiburg (Alemanha).

O levantamento cobriu a prescrição de antibióticos para 6.818 crianças que estavam internadas em 226 hospitais pediátricos em 41 países durante um único dia. Houve 11.899 receitas totais de antibióticos, e 28,6% delas foram para uso profilático.

Antibióticos demais

Entre as crianças hospitalizadas que receberam pelo menos uma receita de antibióticos, 32,9% (2.242 crianças) tomaram o antibiótico para prevenir uma potencial infecção, em vez de tratar uma infecção já diagnosticada. E deve-se ainda levar em conta que, assim como todo medicamento, antibióticos também podem ter efeitos colaterais - mesmo com receita.

Dos antibióticos prescritos para uso profilático, 26,6% foram para prevenir infecções potencialmente associadas a uma cirurgia agendada, e a grande maioria desses antibióticos foi administrada por mais de um dia. As restantes 73,4% das prescrições profiláticas foram destinadas a prevenir outros tipos de infecções. Aproximadamente metade (51,8%) de todas as prescrições de antibióticos preventivos foram para antibióticos de amplo espectro. Em 36,7% dos casos, dois ou mais antibióticos sistêmicos foram prescritos ao mesmo tempo.

Esses padrões vão contra as recomendações atuais para o uso profilático de antibióticos. As diretrizes geralmente exigem o uso de antibióticos de espectro estreito por períodos mais curtos, em um esforço para limitar o desenvolvimento da resistência aos antibióticos.


Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos

Bactérias

Atendimento Médico-Hospitalar

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.