Fazer atividades físicas mais que dobra nível de felicidade

Atividades físicas mais que dobram nível de felicidade
Caminhar é mais fácil, e pode ser o melhor começo, mas você precisa descobrir o que é melhor para você: Andar, correr ou pedalar.
[Imagem: Wikimedia/Henri Bergius]

Movimente-se em busca da felicidade

Sabe-se há muito tempo que a atividade física reduz a depressão e a ansiedade, e os exercícios físicos são comumente prescritos para prevenir ou curar condições negativas de saúde mental.

Mas será que os exercícios físicos podem melhorar a saúde mental positiva da mesma forma que amenizam os aspectos negativos da saúde mental. Esta foi a questão a que Weiyun Chen e Zhanjia Zhang, da Universidade de Michigan (EUA), se propuseram a responder.

Especificamente, os pesquisadores examinaram quais aspectos da atividade física estavam associados à felicidade e ao contentamento e que parcelas da população poderiam se beneficiar dos efeitos.

Para isso, eles revisaram 23 estudos científicos que incluíram aspectos da felicidade e da atividade física. O balanço geral incluiu informações sobre a saúde de milhares de adultos, idosos, adolescentes, crianças e até sobreviventes de câncer - todos de vários países.

Felicidade e exercícios físicos

Os 15 estudos observacionais incluídos na amostra revelaram uma associação positiva direta ou indireta entre felicidade e exercícios físicos.

Em comparação com pessoas inativas, a probabilidade de se sentir feliz é de 20% para pessoas que estão insuficientemente ativas, 29% para aquelas que se consideram suficientemente ativas e de 52% para as muito ativas.

"Nossos resultados sugerem que a frequência e o volume de atividade física são fatores essenciais na relação entre atividade física e felicidade," disse Chen. "Mais importante ainda, até mesmo uma pequena mudança na atividade física faz a diferença na felicidade."

A revisão de estudos observacionais indica que há um efeito de limiar para a relação entre felicidade e atividade física - vários estudos revelaram dois níveis de felicidade similares, um para as pessoas que se exercitavam de 150 a 300 minutos por semana, e outro, mais elevado, para as pessoas que se exercitavam mais de 300 minutos por semana. Os oito estudos de intervenção mostraram resultados inconsistentes.

Os resultados foram publicados no Journal of Happiness Studies.


Ver mais notícias sobre os temas:

Felicidade

Atividades Físicas

Diversão

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.