Percepção do envelhecimento muda conforme envelhecemos

Percepção do envelhecimento muda conforme envelhecemos
Você pode escolher como será seu envelhecimento. E, se vale uma dica, o bem-estar psicológico parece ser mais importante que o físico.
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Percepções distorcidas do envelhecimento

A vida realmente começa aos 40, como se costumava dizer? Ou será que ela já pode ser adiada para os 50?

A resposta dependerá da idade de quem responde.

Para os jovens no início dos seus 20 anos, completar 50 anos significa atingir a velhice - e isto em um mundo onde a expectativa de vida continua a subir, aproximando-se dos 80 anos.

Entrevistas com mais de meio milhão de norte-americanos mostraram como as visões sobre o envelhecimento podem ser divergentes. Mas a percepção pode não estar acompanhando a realidade: Quase 30 mil respondentes acreditam que a meia-idade começa aos 30 anos.

"Eu acho interessante que haja uma tonelada de pessoas que tenham percepções distorcidas sobre o envelhecimento - principalmente os jovens adultos," disse o professor William Chopik, da Universidade do Estado de Michigan (EUA), que publicou os resultados da pesquisa na revista Frontiers in Psychology.

Quanto maior a idade, mais jovens nos sentimos

Foi a maior investigação feita até hoje sobre as percepções quanto à idade, com 502.548 entrevistados pela internet, com idades entre 10 e 89 anos.

Uma descoberta chave: A percepção das pessoas sobre a idade muda à medida que envelhecem. Essencialmente, quanto mais velhos ficamos, mais jovens nos sentimos.

"Eu acho que a descoberta mais interessante deste estudo é que nossas percepções do envelhecimento não são estáticas - elas mudam à medida que nós próprios mudamos," disse Chopik. "O que você considera velho muda à medida que você próprio envelhece".

Parte disso é compreensível, disse ele. As pessoas veem a idade adulta mais velha como uma experiência negativa e querem evitar porque é doloroso pensar em nós mesmos como velhos.

"Mas, é claro, os adultos mais velhos de fato têm vidas realmente enriquecedoras e alguns estudos sugerem que eles são mais felizes do que os adultos jovens," observou Chopik.

Curiosamente, quando perguntados quanto queriam viver, as diferentes faixas etárias deram respostas diferentes. Enquanto as crianças e os adultos jovens queriam viver além dos 90 anos, essa idade ideal caiu entre as faixas etárias de 30 e 40 anos e só começou a crescer novamente a partir dos 50 anos de idade do entrevistado.


Ver mais notícias sobre os temas:

Comportamento

Terceira Idade

Emoções

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.