Placas de fibra de titânio superam metal no reparo ósseo

Placas de fibra de titânio superam metal no reparo ósseo
Em vez de um metal maciço, as novas placas são feitas de fibras de titânio comprimidas.
[Imagem: Japanese Society of Experimental Mechanics/John Wiley and Sons]

Placas de fibra de titânio

Engenheiros japoneses desenvolveram placas de fibras de titânio para uso médico que estão demonstrando, nos primeiros testes em modelos animais, vantagens significativas em relação às ligas de titânio tradicionalmente usadas em ortopedia e traumatologia.

Ao contrário das placas convencionais, as placas de fibra de titânio não causam fragilização óssea após o contato com o osso por períodos prolongados. Isso promete eliminar a necessidade de extração da chapa e os riscos cirúrgicos associados.

"Nossas placas de fibras de titânio, ao contrário das placas convencionais de titânio, são preparadas comprimindo fibras de titânio a temperatura ambiente normal para formar placas, sem alterar a forma das fibras. Elas podem compensar a principal desvantagem das placas convencionais de titânio e encontrar a aplicação em uma ampla gama de usos para fixação e reparo de tecidos ósseos em vários locais do corpo," disse o Dr. Takashi Takizawa, da Universidade de Shinshu.

Módulo de Young

Mais comumente usadas para manter os ossos no lugar enquanto eles se curam de uma fratura, as placas de titânio são resistentes à erosão e fortes o suficiente para manter os ossos no lugar. Elas são usadas em pacientes com fraturas e também com doenças que causam degeneração óssea.

Contudo, elas não são perfeitas. Em muitos casos, as placas metálicas devem ser removidas após a cicatrização ter terminado, pois podem causar "blindagem de tensão", o que faz com que os ossos tornam-se quebradiços.

Para corrigir este problema, a equipe do professor Noboru Nakayama desenvolveu a placa de fibra de titânio em 2014, e agora os testes reais começaram em modelos animais.

As novas placas de fibra compartilham uma característica particularmente importante com os ossos naturais: Ambos têm uma medida de rigidez quase idêntica, conhecida como módulo de Young, enquanto as placas convencionais de titânio têm um módulo de Young de quatro a 10 vezes maior do que a dos ossos. É essa diferença no nível de rigidez que pode eventualmente causar fragilidade óssea.

"Nós vimos como os ossos regenerados penetram na fibras de titânio," disse o Dr. Takizawa. "Várias empresas estão interessadas nas placas de fibra de titânio, e vamos aplicar as placas no reparo clínico do tecido ósseo. Creio que as placas de fibras de titânio podem ser colocadas permanentemente, sem cirurgia de remoção."


Ver mais notícias sobre os temas:

Equipamentos Médicos

Ossos e Articulações

Implantes

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.