Sugestões e propaganda levam consumidores a comer demais

Sugestões e propaganda levam consumidores a comer demais
"É difícil evitar sinais de comida em nosso ambiente atual, mas as pessoas podem tentar algumas estratégias para minimizar sua exposição."
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Querer, gostar e ter fome

A propaganda de um menu atraente com imagens de comida não é capaz de fazer com que você mude suas preferências alimentares.

Mas tem dois outros efeitos diretos: induzir os clientes a pararem em um restaurante e fazer com que eles comam muito mais do que precisam para saciar a fome.

"As sugestões ou propagandas relacionadas com a comida podem fazer com que as pessoas queiram ou desejem mais alimentos, que comam mais. No entanto, não têm muito impacto no que gostam, nem no prazer que elas têm ao ingerir a comida", conta Michelle Joyner, da Universidade de Michigan (EUA).

A pesquisadora analisou o comportamento de 112 universitários, que revelaram seu peso, raça, gênero e outros dados demográficos. Todos foram distribuídos aleatoriamente em duas salas do laboratório, uma imitando um restaurante real, com mesas, cadeiras, cabines e música de fundo, enquanto a outra era uma sala neutra. O foco do experimento era separar os impulsos de querer, gostar e ter fome - querer é uma forte motivação, enquanto o gosto envolve prazer.

Os participantes, que almoçaram uma hora antes do estudo, receberam tíquetes para adquirir alimentos tipicamente disponíveis em restaurantes de comida rápida, como hambúrgueres, batatas fritas, milk shake e refrigerantes. Os tíquetes também podiam comprar tempo para uma atividade alternativa, como jogar videogame em um tablet.

"Coma mais, coma mais..."

Quando expostos a sugestões relacionadas a alimentos, os participantes no laboratório de fast food afirmaram sentir mais fome do que no ambiente neutro. As propagandas, no entanto, não fizeram diferença nos gostos dos participantes em qualquer um dos ambientes.

Os estudantes consumiram 220 calorias a mais no ambiente de fast food do que aqueles que comeram na sala sem propaganda.

As sugestões de alimentos não impactaram no querer ou no gostar de jogos, sugerindo que o efeito é específico para os alimentos.

Joyner e seus colegas afirmam que o experimento mostra que é importante que as pessoas se informem sobre como as sugestões e propagandas de alimentos as estão induzindo a pensar que estão com fome e aumentar seu desejo de comida.

"É difícil evitar sinais de comida em nosso ambiente atual, mas as pessoas podem tentar algumas estratégias para minimizar sua exposição ao não entrar em restaurantes e evitar usar tecnologia para ignorar propagandas de comida em programas de TV," disse Joyner.

O estudo foi publicado na revista Clinical Psychological Science.


Ver mais notícias sobre os temas:

Consumo Responsável

Alimentação e Nutrição

Conservação de Alimentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.