Um só pernilongo pode transmitir dengue e zika ao mesmo tempo

Um só pernilongo pode transmitir dengue e zika ao mesmo tempo
Até drones estão sendo usados para combater os pernilongos no Brasil.
[Imagem: Aiea/ONU/N. Culbert]

Coinfecção

O que já se suspeitava ser possível acaba de ser confirmado: o pernilongo Aedes aegypti pode ser infectado simultaneamente pelo vírus da zika e da dengue e, pior do que isso, transmitir os dois vírus em uma só picada.

Foi o que constataram pesquisadores da Fiocruz Minas e da Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado.

Os primeiros experimentos, feitos em animais, mostraram que, quando o pernilongo está infectado com os dois vírus, ele transmite preferencialmente o vírus da zika, mas transmite os dois em um número significativo de casos.

"Isso significa que certamente temos mosquitos circulando no Brasil coinfectados por vírus dessas duas doenças, uma vez que nosso país é área endêmica para ambas," afirmou o pesquisador Paulo Pimenta.

Zika mais agressivo

Camundongos submetidos à picada dos mosquitos coinfectados tiveram uma taxa de contaminação pelo zika de 100%, percentual que contrasta com a taxa de transmissão da dengue, que foi de 20%.

Porém, todos os 20% infectados por dengue também foram infectados por zika, indicando que o Aedes pode transmitir as duas doenças para um mesmo indivíduo.

"Por que o vírus zika tem sido mais eficaz em transmissão ainda é uma incógnita. Vimos, pelas nossas análises, que a intensidade da infecção nos mosquitos coinfectados foi maior para o zika do que para o vírus da dengue. Assim, uma das hipóteses é que haja uma maior disponibilidade do vírus da zika na saliva do vetor para ser injetado no hospedeiro," observou Paulo Pimenta.

Outra possibilidade é que o vírus da zika, por ter entrado mais recentemente no Brasil, seja mais agressivo ao entrar no organismo do mosquito, tendo a capacidade de se multiplicar mais rapidamente.

Pernilongo com três vírus

Como pior caso, a coinfecção comprovada nesta pesquisa levanta a possibilidade real de que o fenômeno possa ocorrer também com outros vírus, como o chikungunya. Já foi demonstrada a coinfecção do vírus chikungunya com o da dengue e só falta agora encontrar os três no mesmo pernilongo - e torcer para que esse pernilongo não pique ninguém.

"A coinfecção por mais de um arbovírus terá implicações epidemiológicas importantes. Infecções mistas nos seres humanos poderão apresentar sintomas ainda mais complexos, tornando o diagnóstico clínico e até mesmo o manejamento desses pacientes um desafio ainda maior," ressalta Paulo Pimenta.

O estudo foi publicado na revista Journal of Infectious Diseases, órgão oficial da Sociedade Norte-Americana de Doenças Infecciosas.


Ver mais notícias sobre os temas:

Vírus

Epidemias

Infecções

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.