16/05/2018

Medicamentos anticolinérgicos fortemente associados com risco de demência

Beverly Merz/Harvard University

Anticolinérgicos

Um relatório publicado no JAMA Internal Medicine traz fortes evidências de uma ligação entre o uso a longo prazo de medicamentos anticolinérgicos, como Benadryl®, e a demência.

As drogas anticolinérgicas bloqueiam a ação da acetilcolina, substância responsável por transmitir mensagens no sistema nervoso. No cérebro, a acetilcolina está envolvida no aprendizado e na memória. No resto do corpo, estimula as contrações musculares.

As drogas anticolinérgicas incluem alguns anti-histamínicos, antidepressivos tricíclicos, medicamentos para controlar bexiga hiperativa e drogas para aliviar os sintomas da doença de Parkinson.

Uma equipe liderada por Shelley Gray, da Universidade de Washington (EUA), acompanhou cerca de 3.500 homens e mulheres com 65 anos de idade ou mais que participaram do Adult Changes in Thought (ACT), um estudo de longo prazo conduzido pela universidade e por um sistema de saúde da cidade de Seattle, chamado Grupo Saúde. A equipe usou os registros farmacêuticos do Grupo Saúde para determinar todos os medicamentos, tanto prescritos como de venda livre, que cada participante tomou ao longo de um período de 10 anos.

Anticolinérgicos e demência

Após o período de 10 anos quando a ingestão de remédios foi rastreada, a saúde dos participantes foi monitorada por uma média de sete anos. Durante esse tempo, 800 dos voluntários desenvolveram demência.

Quando os pesquisadores examinaram o uso de drogas anticolinérgicas, descobriram que as pessoas que usavam esses medicamentos tinham uma probabilidade muito maior de desenvolver demência do que aquelas que não as usavam. Além disso, o risco de demência aumentou juntamente com a dose cumulativa.

Tomar um anticolinérgico pelo equivalente a três anos ou mais foi associado a um risco de demência 54% maior do que tomar a mesma dose por três meses ou menos.

Os resultados vêm se somar às evidências crescentes de que os anticolinérgicos não são remédios para se tomar a longo prazo se você quiser manter uma mente saudável até a velhice. A produção de acetilcolina pelo corpo diminui com a idade, portanto, bloquear seus efeitos pode causar um duplo golpe para os idosos. Não é surpresa que problemas com memória de curto prazo, raciocínio e confusão liderem a lista de efeitos colaterais dos medicamentos anticolinérgicos, que também incluem sonolência, boca seca, retenção de urina e constipação.

O estudo da Universidade de Washington é o primeiro a incluir medicamentos sem receita médica. É também o primeiro a eliminar a possibilidade de as pessoas tomarem um antidepressivo tricíclico para aliviar os primeiros sintomas de demência não diagnosticada - o risco associado aos medicamentos da bexiga foi igualmente elevado.

Reavaliar seus medicamentos

"Este estudo é outro lembrete para avaliar periodicamente todos os medicamentos que você está tomando. Olhe para cada um para determinar se ele realmente está ajudando," disse a Dra Sarah Berry, professora de geriatria da Escola de Medicina de Harvard. "Por exemplo, eu tenho visto pessoas que tomaram medicações anticolinérgicas para o controle da bexiga por anos e são completamente incontinentes. Essas drogas obviamente não estão ajudando."

Uma das melhores maneiras de se certificar de que você está tomando os medicamentos mais eficazes é jogar todos eles - com receita e sem receita - em uma bolsa e levá-los para sua próxima consulta com seu médico.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.